segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O JUIZ




O habito de julgar está tão enraizado nas pessoas, que elas fazem isso o tempo todo. Em nenhum momento se para pensar que nossa realidade é única, portanto as outras pessoas podem ser completamente diferentes daquilo que passam ser. Então a gente julga o tempo todo: julgamos a roupa da mulher que passa na rua porque ela está aparecendo demais; julgamos o religioso porque ele é fanático demais; julgamos as feministas porque elas devem ser mulheres mal amadas; enfim, julgar se tornou uma coisa tão trivial e fácil, que a gente faz o tempo todo, sem perceber.


Julgar é fácil. A gente analisa a vida e as escolhas dos outros baseados na nossa história, nas nossas escolhas. Difícil é parar para tentar entender as escolhas dos outros baseados na história de vida deles. Se colocar no lugar do outro e tentar entender porque cada um escolhe o que fazer, isso é complicado porque exige que nos retiremos do conforto da nossa vida para tentar entender outra realidade completamente diferente da nossa. É fácil achar semelhanças, difícil é lidar com as DIFERENÇAS.


4 comentários:

  1. Exortação não é julgamento!

    METANÓIA!

    ResponderExcluir
  2. Claro! Concordo. Dentro de Filipenses 4. 7-9.

    Deus abençoe em nome de Jesus!

    ResponderExcluir
  3. E a gente esquece: esquece o quanto aponta da gente, quando julga,


    Bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valewz Alê! É isso aí. pura verdade!
      seja sempre bem vinda.

      Nilson Magalhães.

      Excluir